Jan 21, 2021

Delegado consegue ordem judicial para impedir realização de festa que colocaria em risco a população

1
0
0
s2smodern

 
O delegado Márcio Acácio Seguesse pediu à justiça a suspensão de um evento que seria realizado na noite do dia 31 de dezembro, no Maison Villa Nobre Eventos, em Catanduva/SP. A representação também se refere a outros eventos que sejam programados em datas posteriores, enquanto perdurar as medidas restritivas relativas ao Covid-19.

Para ele, a polícia e o delegado devem estar atentos às demandas da sociedade. "Atualmente a saúde pública é prioridade no mundo todo. É inadmissível um evento dessa natureza e porte, com intensa aglomeração de pessoas, enquanto a demanda hospitalar de doentes da Covid-19 segue aumentando", disse Dr. Márcio Acácio Seguesse.

O delegado pondera ainda que a segurança é dever de todos. "O estado/polícia, por intermédio de todos os poderes, devem atuar quando necessário. Também é importantíssima a atuação concatenada da Polícia Judiciária, Ministério Público e judiciário. Quem ganha é a sociedade", argumentou.

O juiz José Roberto Lopes Fernandes acolheu a representação feita pelo delegado. A decisão esclarece que a medida cautelar tem respaldo na necessidade de evitar aglomerações em eventos de tal envergadura que facilitariam a transmissão da Covid-19, representando, assim uma inequívoca violação à ordem e à saúde públicas.

Clique AQUI e veja a representação e a decisão judicial!

ADPESP

DELEGADOS.com.br
Portal Nacional dos Delegados & Revista da Defesa Social

 

 

1
0
0
s2smodern

Destaques