Ago 02, 2021

'Me calei por muito tempo', diz Pamella após divulgar vídeos em que é agredida por DJ Ivis

1
0
0
s2smodern


Pamella Holanda, ex-mulher do DJ Ivis, se pronunciou pela primeira vez após divulgação dos vídeos em que aparece sendo agredida pelo artista. Em publicação em sua rede social, na manhã desta segunda-feira (12), ela relatou o que passou.
 

"Eu me calei por muito tempo! Eu sofria com minha filha, sem apoio até dos que diziam estar ali pra ajudar, que eram coniventes e presenciavam tudo calados sem interferir com a desculpa que eu tinha que aguentar calada porque era o 'jeito dele', era esse o 'temperamento dele' e que se eu quisesse viver com ele, teria que me sujeitar e ser submissa. Não se calem!!! Não se calem jamais!!! Eu não vou me calar!", escreveu Pamella no Instagram.


Na série de publicações, Pamella também agradece o apoio que tem recebido e afirma que não está bem, mas ela e a filha estão seguras. A criança, de 9 meses, é fruto do casamento com o DJ Ivis. 

"Eu quero e preciso agradecer todo apoio que estou recebendo. Dizer que não estou bem, mas que estou segura, eu e minha filha. E dizer também que hoje o meu choro é de alívio", disse. Veja abaixo na íntegra o que disse Pamella após a repercussão do caso.


DJ Ivis informou, através de sua assessoria, que vai cumprir a medida protetiva. "“Irei comprir a decisão da medida protetiva e permaneço à disposição da justiça", disse.


O prefeito de Fortaleza, Sarto Nogueira, divulgou na manhã desta segunda-feira mensagens de apoio a Pamella Holanda.


"A violência contra a mulher é inadmissível e se torna ainda mais cruel e repugnante na presença de filhos. Minha solidariedade à Pamella Holanda e a todas as mulheres que lamentavelmente sofrem com a violência doméstica", escreveu Sarto nas redes sociais.


Ainda conforme o gestor municipal, o secretário de Direitos Humanos e Desenvolvimento Social, Cláudio Pinho, irá acompanhar o caso.


"Determinei ao secretário de Direitos Humanos e Desenvolvimento Social, Cláudio Pinho, que acompanhe o caso e ofereça assistência. A Prefeitura de Fortaleza atua para garantir o apoio necessário às vítimas em casos assim. O Centro de Referência e Atendimento à Mulher em Situação de Violência Francisca Clotilde oferece acolhimento, acompanha e encaminha para serviços da Rede de Atendimento e Enfrentamento à Violência. Funciona na Rua Teles de Sousa, s/n – Couto Fernandes, na Casa da Mulher Brasileira. Tel: (85) 3108-2968".


Justiça nega pedido de DJ Ivis contra Pamella


A juíza Maria José Sousa Rosado de Alencar, da Comarca de Fortaleza, negou neste domingo (11) o pedido do advogado do DJ Ivis para remover o conteúdo em que ele aparece agredindo a ex, Pamella Holanda. O músico também pedia que Pamella fosse proibida de comentar sobre o assunto com a imprensa, "principalmente onde citem a filha menor", o que também foi negado na Justiça.


No processo de calúnia movido por Ivis contra Pamella, a defesa do artista justifica que "na data de hoje, após as 15 horas [ela] comunicou a imprensa fatos mentirosos relativos à violência doméstica veiculada em site na internet prejudicial a sua reputação".


Na decisão, a juíza Maria José, que estava no Plantão Judiciário do Tribunal de Justiça do Ceará (TJCE), afirma que é "impossível analisar o pedido, além do que a concessão de tal pretensão, nos moldes formulados representaria afronta ao direito fundamentada livre expressão da imprensa".


Xand Avião anunciou que DJ Ivis não faz mais parte da Vybbe, escritório que administra a carreira de cantores como Xand, Zé Vaqueiro, Nattan e Priscila Senna.


"Não admito, nem compactuo com nenhum tipo de violência, ainda mais com uma mulher. Nada explica, não tem explicação", afirmou o cantor. Veja no vídeo abaixo.


"Como todo mundo sabe o DJ faz parte da Vybbe, infelizmente, não tem como continuar com ele na nossa empresa", continua.

 

Agressões na frente da filha


Vídeos gravados por câmera de segurança interna mostram DJ Ivis agredindo a ex-mulher na frente da filha e de outras duas pessoas.


Não é possível identificar os dias em que as agressões aconteceram, mas a vítima, Pamella Holanda, compartilhou as imagens em rede social neste domingo (11).


O inquérito policial foi instaurado, mas não foi possível prender Ivis em flagrante, porque as agressões ocorreram no dia 1º, segundo o órgão público. O G1 tenta acesso ao documento.


A Polícia Civil solicitou ao Poder Judiciário medidas protetivas de urgência em favor de Pamella. Também informa que o caso segue em investigação e que a polícia ainda não tinha sido apresentada às filmagens das agressões divulgadas neste domingo.


Após a divulgação dos vídeos, DJ Ivis se pronunciou por meio de nota e nas redes sociais. No comunicado, o artista foca no término com Pamella e não menciona as agressões.


"Infelizmente não temos vivido uma relação saudável há algum tempo e já faz uma semana que estamos separados de fato. Estamos tentando de todas as maneiras que tudo isso tenha uma solução. Temos uma filha que não precisa viver no meio de conflitos. Desde a separação, semanalmente, envio um valor para as despesas, já deixei pago pediatra e vacinas da nossa filha", comentou DJ Ivis.


Já em uma série de vídeos publicados numa rede social, o artista falou do relacionamento conturbado que tinha com Pamella, confirmou as agressões e disse que vinha sendo ameaçado. Ele não dá detalhes sobre o teor das ameaças, nem os motivos.


"Sempre tentei fazer de tudo para que isso não chegasse ao extremo. E, como eu disse, tenho como provar tudo, nada vai justificar a reação que eu tive, mas não aguentava mais ameaças".


"Eu não vou ter raiva do que as pessoas estão falando de mim, porque eu não posso. As pessoas estão reagindo do que estão vendo, mas estão comentando as coisas que não sabem", continuou.


Quando começou a se defender na internet, o produtor e cantor mostrou a imagem de um Boletim de Ocorrência que fez contra mulher no dia 13 de março.


Veja na íntegra a publicação de Pamella Holanda:


Eu quero e preciso agradecer todo apoio que estou recebendo. Dizer que não estou bem, mas que estou segura, eu e minha filha. E dizer também que hoje o meu choro é de alívio por certeza que Deus está com a gente, que nunca mais vou viver o que vivi e que não preciso mais fingir pra ajudar ninguém.


Não existe fama, status, dinheiro, posição social, contato ou influência que permita ele de ficar impune.


Eu me calei por muito tempo! Eu sofria sozinha com minha filha, sem apoio até dos que se diziam estar ali pra ajudar, que eram coniventes e precisavam estar ali pra ajudar, que eram coniventes e presenciavam tudo calados sem interferir com a desculpa que eu tinha que aguentar calada porque era o "jeito dele", era esse o "temperamento dele" e que se eu quisesse viver com ele, teria que se me sujeitar e ser submissa.


Não se calem!!! Não se calem jamais!!!


Por mim e por você, minha filha, que é mulher, que sentia junto comigo, antes de nascer, a angústia, o medo. Estamos salvas. Estamos Salvas!!!

 

G1

DELEGADOS.com.br
Portal Nacional dos Delegados & Revista da Defesa Social

 

 

 

1
0
0
s2smodern

Destaques