Nov 20, 2018

Faça seu login

Usuário*
Senha*
Lembrar de mim

Dicas de segurança ao usar aplicativos de bancos

1
0
0
s2smodern

Todos os grandes bancos brasileiros possuem aplicativos móveis funcionais, que permitem acessar informações de conta, saldo, extrato, fazer pagamentos, movimentar e investir recursos. Entretanto, alguns cuidados devem ser tomados para que as transações feitas no celular sejam protegidas de roubos e fraudes.

Apesar de serem seguros, é preciso saber que alguns apps apresentam vulnerabilidades. Em estudo realizado pelo NowSecure e pela Accenture, 10% dos aplicativos bancários rodados no Android apresentou problemas de segurança em nível médio, contra 4% no iOS. A plataforma do Google também registrou 2% de falhas de alto nível, enquanto o sistema da Apple não apresentou problemas deste tipo.


Ainda assim, utilizar esses serviços pelo celular é mais seguro do que acessar o Internet Banking pelo computador. Aplicativos móveis bem projetados não armazenam dados, além de serem mais raros os casos de contaminação por vírus nos smartphones. Confira, na lista a seguir, cinco dicas que podem trazer mais segurança ao realizar transações bancárias pelos aplicativos de celular.



Mantenha o sistema atualizado

A cada atualização, os sistemas operacionais disponibilizam novas ferramentas de segurança, aprimoram questões de vulnerabilidade e corrigem falhas que podem deixar o aparelho em risco. Independente da plataforma utilizada, usar um software desatualizado facilita uma possível invasão do sistema e o roubo de informações sigilosas, inclusive dados bancários armazenados nos aplicativos, permitindo que cibercriminosos realizem transações com sua conta. O ideal é habilitar as atualizações automáticas e ficar atento às notificações de novas versões do sistema.


Evite usar apps bancários pelo Wi-Fi

Redes sem fio podem ser frágeis no quesito segurança, mesmo se utilizadas em casa. Para se proteger diante dessa vulnerabilidade, o ideal é abrir os aplicativos de banco utilizando somente dados móveis, e não o Wi-Fi. O risco é ainda maior quando a rede é pública, disponibilizada por restaurantes, shoppings ou aeroportos, por exemplo, onde as conexões ficam mais expostas. Ainda que seja possível que ladrões invadam a rede 3G ou 4G, não será tão fácil como no Wi-Fi. Alguns aparelhos também permitem configurar o sistema para não se conectar automaticamente a redes públicas disponíveis, evitando que seu celular seja acessado através de conexões falsas.



Habilite a verificação em duas etapas

Grande parte dos aplicativos de banco solicita um token para realizar transações que envolvam dinheiro nos aplicativos. Antes disponibilizados em cartões físicos, os códigos únicos para confirmar uma ação de transferência ou pagamento agora são emitidos nos próprios apps ou enviados por SMS, para garantir a segurança da transação – alguns bancos chegam a solicitar também a leitura de um QR Code para validar a transição e gerar um novo código exclusivo. Cada código tem um tempo de utilização específico, e só pode ser utilizado a cada sessão ou a cada transação, tornando mais difícil qualquer tipo de roubo.

 

Utilize antivírus e VPN

Caso seja necessário acessar a Internet por um Wi-Fi público, você pode utilizar um VPN, rede virtual privada que torna mais difícil a interceptação de informações, protegendo seus dados confidenciais. Existem muitas opções de VPN gratuitos disponíveis para utilização. Além disso, o recomendado é manter o antivírus sempre atualizado no aparelho, recebendo alertas de vulnerabilidade.

 

Monitore suas contas com frequência

Esteja atento a movimentações suspeitas nas suas contas bancárias e extratos de cartões de crédito. Com a facilidade de visualizar saldo e extrato rapidamente pelos aplicativos, é possível conferir se está tudo certo na tela do celular. Ao identificar uma fraude, o recomendado é informar imediatamente ao banco para obter essas respostas. Checar essas informações, ao menos uma vez por dia, garante que você esteja ciente das suas transações.

 


Techtudo

DELEGADOS.com.br
Portal Nacional dos Delegados & Revista da Defesa Social

  

1
0
0
s2smodern

Destaques