Nov 21, 2017

Faça seu login

Usuário*
Senha*
Lembrar de mim

Operação contra pedofilia em 24 Estados e no DF prende 108 em flagrante

1
0
0
s2smodern


Operação contou com a a atuação do delegado Alesandro Barreto 

  

O Ministério da Justiça realizou, nesta sexta-feira (20), uma ação de combate à pedofilia em 24 Estados e no Distrito Federal. Coordenada pela Senasp (Secretaria Nacional de Segurança Pública), a operação "Luz na infância" cumpriu mais de 170 mandados de busca e apreensão e contou com 1.100 policiais. O ministério considera a ação uma das maiores do mundo no combate à pedofilia.

Segundo a pasta, 108 pessoas foram presas em flagrante com material de pedofilia. Dos 178 mandados de busca e apreensão, 157 foram cumpridos ao menos 151 mil arquivos digitais compartilhados entre suspeitos foram apreendidos.

Segundo o ministro da Justiça, Torquato Jardim, os detidos são suspeitos de produzir pornografia envolvendo crianças e de compartilhar esse tipo de material.

O UOL apurou que os perfis dos suspeitos são diversos --há funcionários públicos, professores de escolinhas de futebol, profissionais de saúde, entre outros. Mulheres também estão entre os detidos.

A investigação, que contou com aparato internacional de inteligência dos Estados Unidos e União Europeia, se desenrolou na chamada deep web (camada da internet que não aparece nos resultados de buscas).

O ministro não deu detalhes sobre o trabalho investigativo, mas afirmou que, em algumas ocasiões, o material era hospedado em computadores de terceiros --sem que eles soubessem que isto estaria armazenado em seus PCs.

"Muitas vezes ele é hospedeiro sem saber e temos como identificar esta questão. Estas pessoas não foram indiciadas", disse.

O ministro informou ainda que será investigada a conexão dos presos a outros tipos de crimes.


Os alvos da operação, segundo a pasta, foram identificados através de um trabalho de cooperação mútua realizado em parceria entre a DINT [Diretoria de Inteligência da Senasp] e a Embaixada dos Estados Unidos. As investigações vêm sendo feitas há seis meses.

O ministro acrescentou que os únicos dois Estados que não estão na operação (Piauí e Amapá) não cumpriram os requisitos ou conseguiram os mandados até o desencadeamento da ação.

A operação foi intitulada "Luz na Infância", segundo o ministério, "por serem bárbaros e nefastos os crimes contra a dignidade sexual de crianças e adolescentes". "A internet facilita esse tipo de conduta criminosa e, via de regra, os criminosos agem nas sombras e guetos da rede mundial de computadores", diz a nota.

Para o ministério, "'Luz na Infância' significa propiciar às crianças e adolescentes vítimas de abuso e violência sexual o resgate da dignidade, bem como, tirar esses criminosos da escuridão, para que sejam julgados à luz da Justiça".

Estadão e UOL

DELEGADOS.com.br
Portal Nacional dos Delegados & Revista da Defesa Social

 

 

 

1
0
0
s2smodern

Destaques