Início Notícias Fraudadores vendem na internet carteiras de motoristas digitais falsificadas

Fraudadores vendem na internet carteiras de motoristas digitais falsificadas

A infração para quem é pego dirigindo com carteira falsificada é considerada gravíssima, com multa de R$ 293 e sete pontos na carteira.

Fraudadores estão vendendo na internet carteiras de motoristas digitais falsificadas – e quem compra também está cometendo crime.

Os golpistas vendem o acesso a um aplicativo para baixar a carteira e uma cópia da CNH em arquivo PDF. No mesmo anúncio, informam que o documento pode ser usado para se hospedar em hotéis, comprar passagens aéreas e entrar em shows e eventos. O Jornal Nacional entrou em contato com um dos golpistas, que explicou como funciona a fraude.

“A CNH vai constar diretamente no aplicativo. Eu te mando o ‘apk’ para você instalar. Dados que eu vou precisar são nome completo, data de nascimento, CPF ou RG, entendeu? Nome da mãe, do pai, está ligado? Se você preferir, te passo tudo escrito e você vai só preenchendo”, conta.

O golpista enviou o modelo da carteira falsificada. Assim como na CNH digital verdadeira, o documento tem um código para supostamente comprovar que é autêntica. Mas quando esse código é escaneado com a câmera do celular, em vez de aparecerem os dados do motorista, aparece na tela um site de consulta de placas.

Quando código de CNH falsificada é escaneado com a câmera do celular, em vez de aparecerem os dados do motorista, aparece na tela um site de consulta de placas — Foto: JN

Um outro golpista confirma que a carteira falsificada não vai constar nos bancos de dados oficiais.

Repórter: A carteira não vai estar no sistema então, é isso?

Golpista: Não, no sistema é impossível, irmão. É como se fosse uma réplica do site, de tudo. Então, por exemplo, se você vai em uma agência, se você vai nos Correios, e você abre o aplicativo e abre a CNH, vai passar 100%. Agora, dentro do sistema do Detran, não. É impossível, ninguém faz isso.

Foi o que aconteceu com um motorista na Região Metropolitana de Porto Alegre na semana passada. Ao consultar o sistema, os policiais rodoviários federais verificaram que a CNH era fraudada e ele acabou preso.

“Ele apresentou um documento de habilitação digital. Foi feita a pesquisa através do QR Code e não houve resultado. Se não houver a checagem pelo QR Code ou através de algum sistema, ela passa”, afirma o policial rodoviário federal Felipe Barth.

A infração para quem é pego dirigindo com carteira falsificada é considerada gravíssima, com multa de R$ 293 e sete pontos na carteira.

“A pena é a mesma para quem elabora documento falso e para quem faz uso: pena de dois a seis anos de reclusão”, explica Thiago Machado Delabary, delegado regional de Polícia Judiciária da PF.
O Detran afirma que o sistema de dados oficial é seguro e que não há registro de invasão.

“O aplicativo inviabiliza fraudes, ele possui requisitos de segurança onde há o confrontamento das informações a todo instante com a Base Nacional de Habilitados. Fora esse sistema, há risco de coleta e vazamento de informações”, afirma Fábio Santos, diretor-técnico do Detran RS.

E quem compra documento falsificado ainda corre o risco de ter os dados roubados pelos golpistas.

“Todos os dados que você fornece, eles ficam expostos, ficam vulneráveis para os criminosos. E todas as operações que você faz ali podem ser coletadas nesse tipo de app”, explica o especialista em tecnologia Ronaldo Prass.

Globo

DELEGADOS.com.br
Portal Nacional dos Delegados & Revista da Defesa Social