Set 26, 2020

Força tarefa entre delegado de polícia e procuradora da Fazenda Nacional lança site para investigação de criptoativos

1
0
0
s2smodern

Vytautas F S Zumas e Ana Paula Bez Batti, responsáveis pelo projeto

Uma iniciativa inédita do no Brasil vai conectar investigações envolvendo Bitcoin e criptomoedas.


Esse é o objetivo da plataforma BlockSherlock desenvolvida por Vytautas F S Zumas (Delegado de Polícia Civil de Goiás, atualmente coordenando o Núcleo de Operações com Criptoativos da Coordenação Geral de Combate ao Crime Organizado da DIOP/SEOPI/Ministério da Justiça e Segurança Pública), com a colaboração de Ana Paula Bez Batti, Procuradora da Fazenda Nacional.

Segundo Batti, o projeto, tem como objetivo servir e conectar unidades brasileiras responsáveis por este tipo de investigações.

Assim, através de contas de e-mail institucionais, agências nacionais podem solicitar apoio pela plataforma e interagir com o NOC, entre outras funções.

“Entre outros objetivos a plataforma tem a finalidade de ajudar a desanonimizar as transações envolvendo ativos digitais quebrando assim o pseudo-anonimato e ajudando as investigações em curso no Brasil”, disse Batti ao Cointelegraph.

A Plataforma

A BlockSherlock, entre outros, coleciona inúmeros Blockchain Explorers, lista as características mais importantes de cada um e oferece uma seção exclusiva de ferramentas úteis para investigações específicas e outras para busca de dados em fontes abertas.


Batti, destaca ainda que as instituições e demais participantes da plataforma podem acessar também diversas informações como lista das Exchanges atuantes do Brasil; Modelos de requerimentos e ofícios e outros dados de investigações sobre criptoativos no Brasil.

“Além das ferramentas necessárias para um rastreamento de transações envolvendo ativos virtuais, a plataforma BlockSherlock traz uma série de ferramentas OSINT (OPEN SOURCE INTELLIGENCE TOOLS) que auxiliarão o agente público também em investigações em fontes abertas”, disse.

Blockchain

O uso de blockchain para ajudar agentes públicos no combate a crimes vem avançando no Brasil.


Assim, no Governo Federal há estudos para o uso de uma sistema em DLT dentro da Estratégia Nacional de Combate à Corrupção e à Lavagem de Dinheiro (ENCCLA).

No entanto, embora os estudos sejam preliminares, os membros da ENCCLA, acreditam que o uso de blockchain para evitar crimes de lavagem de dinheiro é muito promissor.

Cointelegraph


DELEGADOS.com.br
Portal Nacional dos Delegados & Revista da Defesa Social

  

1
0
0
s2smodern

Destaques