Jul 11, 2020

Operação Firewall prende líder de organização criminosa de clonagem de cartões

1
0
0
s2smodern

Delegado Lucas Sá/PCPB
 

THIAGO FELIPE DE OLIVEIRA GUIMARÃES, preso em flagrante pela Polícia Militar, em BAYEUX/PB, praticando golpes contra empresa de eletrônicos (contratação com uso de documento falso) na tarde do dia 16 de janeiro é investigado pela Polícia Civil da Paraíba - DDF - respondendo a quatro processos criminais, sendo um dos líderes de uma Organização Criminosa especializada na clonagem de cartões de crédito, com atuação internacional.

THIAGO FELIPE é um dos investigados na OPERAÇÃO FIREWALL, processo em tramitação na DDF, através do qual 21 pessoas foram identificadas, comprovando-se o desvio de mais de 10 milhões de reais. No entanto, apesar de todo o material apreendido, todos os suspeitos permanecem em liberdade, ainda que já tenham sido indiciados e que suas prisões tenham sido solicitadas por diversas vezes pela DDF.

Além dos 04 processos criminais em tramitação na Justiça Estadual, THIAGO FELIPE responde a processo na justiça federal, em razão da negociação de um veículo com o uso de documento falso.

A Polícia Civil seguirá nas diligências necessárias ao esclarecimento dos fatos em tramitação, objetivando demonstrar à justiça paraibana que a prisão de todos os membros da organização criminosa, além de garantir a ORDEM PÚBLICA, servirá para que tais pessoas não continuem a praticar novos crimes, como o acontecido na tarde de ontem, dia 16.

Vários dos suspeitos investigados na OPERAÇÃO FIREWALL continuam a praticar graves condutas criminosas, adquirindo produtos eletrônicos no exterior, com o uso de cartões clonados no Brasil. Um dos comparsas de THIAGO, o Paraibano ANDRÉ LEON GONCALVES PEREIRA, vulgo “LION”, foi preso em agosto pela polícia de NEW ORLEANS / EUA, aguardando julgamento na prisão até a presente data. A DDF solicita a colaboração da população através do DISQUE DENÚNCIA (tel. 197), no sentido de repassar informações sobre os suspeitos investigados na OPERAÇÃO FIREWALL / CLONAGEM DE CARTÕES. 



Brasileiros acusados de clonagem de cartão podem pegar mais de 20 anos de prisão

 


O grande júri federal em New Orleans acusou formalmente os cinco brasileiros detidos no início de agosto por esquema de conspiração, clonagem e uso de quase 200 cartões de crédito falsificados, eles se tornaram réus e podem pegar mais de 20 anos de prisão.

Dos cinco réus, quatro deles que haviam sido presos no dia 3 de agosto, João Freire Da Silva Neto, Andre Leon Gonçalves Pereira, Herik Lucian Enedino Dos Santos e Fernando Finatto Minguzzi responderão por duas acusações de posse de quinze ou mais máquinas de falsificação, com pena máxima de dez anos de prisão, além de posse e contrabando de equipamento de fabricação de dispositivos, com pena máxima de quinze anos de prisão.

Da Silva também responderá por falsificação ideológica ao usar nome falso para alugar os dois quartos no hotel onde estavam.

O quinto brasileiro detido no esquema, Rubens Eleuterio de Almeida Jr., é acusado de enviar skimmers, câmeras pinhole e outras ferramentas de Oklahoma City para os quatro membros em Nova Orleans. Ele foi preso em Midwest City, Oklahoma, com posse de cartões de crédito falsificados, cartões de crédito em branco, um skimmer ATM, câmeras pinhole, cartões de memória, um gravador e outros itens usados ​​para criar cartões de crédito falsificados.

Todos os cinco brasileiros respondem também por conspiração, posse e tráfico de equipamentos de fabricação de dispositivos de clonagem, o que adiciona uma pena de até sete anos e meio de prisão.

Além das penalidades listadas acima, cada acusação também traz a fiança máxima de US $ 250.000 e um prazo de liberação supervisionada até três anos.

As prisões dos brasileiros foram resultado de uma investigação feita pela U.S. Secret Service Financial Crimes Task Force (Força-Tarefa de Crimes Financeiros do Serviço Secreto dos EUA), que incluiu membros do Serviço Secreto dos EUA, Louisiana Bureau of Investigation, New Orleans Police Department e Jefferson Parish Sheriff’s Office.

Nos quartos de hotel foram encontrados 175 números de cartões roubados e clonados, segundo as autoridades, além de equipamentos de clonagem e a quantia de $ 9 mil dólares em dinheiro, segundo os registros de reservas.

Especialistas em negócios dizem que os esquemas de fraude de cartões de crédito geram prejuízos de milhões de dólares aos grandes varejistas por ano.

Gazeta News e Polícia Civil do Estado da Paraíba


DELEGADOS.com.br
Portal Nacional dos Delegados & Revista da Defesa Social

 

1
0
0
s2smodern

Destaques