Nov 25, 2020

Maníaco que ataca dentistas ignora a polícia e marca nova consulta

1
0
0
s2smodern

MINAS GERAIS

07mai10-mg-maniacoO maníaco Arquimedes de Abreu Filho, de 50 anos, continua marcando consultas em clínicas odontológicas de Belo Horizonte, mesmo com o cerco montado para prendê-lo. Apontado pela polícia como o homem que tem invadido consultórios e aterrorizado profissionais da saúde na capital, o criminoso teria agendado atendimento em uma clínica no Bairro Céu Azul, na Região de Venda Nova, para o fim da tarde de quinta-feira. Usou como pretexto a falta de dois dentes laterais e solicitou o serviço de implante dentário. Porém, Arquimedes não compareceu no horário marcado. A dentista, que não teve o nome revelado, procurou a Delegacia de Crimes Contra a Mulher.

Na sexta-feira, a delegada Silvana Fiorello Rocha alertou as profissionais a atender depois do horário comercial somente pacientes já conhecidos. "Não é motivo para pânico, mas é uma forma de se precaver", disse. Para ela, o contato feito com a clínica odontológica no Bairro Céu Azul pode ser uma tática usada por Arquimedes para tentar desviar o foco da polícia.

A cada dia novas informações do maníaco surgem na Delegacia de Crimes Contra a Mulher e novos casos são apurados. Na manhã de sexta-feira, uma balconista de 25 anos procurou a delegacia para prestar depoimento. Ela seria a oitava vítima do maníaco identificada pela polícia.

A mulher contou que foi estuprada por Arquimedes em junho de 2006, quando voltava do trabalho. Rendida pelo criminoso, que portava um revólver, foi levada para um matagal próximo a um córrego na Região de Venda Nova e foi estuprada por cerca de quatro horas durante a madrugada. Na fuga, o maníaco teria levado o celular e dinheiro da vítima. "Ela chorou muito ao reconhecer a foto de Arquimedes. Estava muito abalada e contou que depois do crime precisou de tratamento psicológico", comentou a delegada Silvana. Até então, a polícia acreditava que os ataques teriam começado, em Belo Horizonte, em 30 de março deste ano.

Para a delegada, a prisão do criminoso é questão de tempo. Na quinta-feira, depois de uma denúncia anônima policiais estiveram num hotel na Rua São Paulo, Região Central de BH, onde o maníaco estava hospedado. Uma funcionária do estabelecimento reconheceu a foto e disse que Arquimedes tinha saído pouco antes da chegada dos agentes com uma mulher identificada como Patrícia. Imediatamente operações para tentar capturar o criminoso foram montadas na rodoviária e no pedágio da Rodovia Fernão Dias, sentido São Paulo. "A informação que obtivemos é de que familiares de Arquimedes vivem em Oliveira, Região Centro-Oeste de Minas, e estamos cumprindo diligências", contou a delegada Silvana Fiorello.

No início da semana a polícia revelou a foto do maníaco depois de receber denúncia de tentativas de estupro a cinco mulheres. Os casos haviam acontecido na Região Oeste e logo a prisão preventiva do acusado foi requerida. Ele também é caçado pela Justiça de Lavras, no Sul de Minas, onde teria estuprado uma mulher. Em Belo Horizonte, Arquimedes forneceu nomes e endereços falsos para marcação das consultas. Em 30 de março, duas mulheres, uma dentista e a secretária, teriam sido rendidas e violentadas pelo criminoso. Com a chegada de uma paciente, uma das vítimas se soltou e entrou em luta corporal com o bandido, que deixou para trás uma bolsa com seus pertences. Ainda assim, Arquimedes seguiu a trajetória de ataques e, cinco dias depois, rendeu outra dentista e sua secretária, num consultório no Bairro Nova Suíça, na mesma região. Além de roubar pertences das mulheres, abusou sexualmente delas.

Dias depois, o criminoso atacou uma terapeuta, a quem estuprou antes de roubar objetos de valor. Na sexta-feira da semana passada, Arquimedes teria feito a sexta vítima no Barro Preto, Região Centro-Sul de BH. A mulher não sofreu agressão sexual, pois reagiu e conseguiu tocar o interfone de uma sala vizinha. A sétima mulher atacada pelo maníaco foi uma dentista, dona de uma clínica no Bairro Céu Azul, na Região de Venda Nova. A vítima identificou Arquimedes como sendo o homem que, há dois meses, a rendeu no consultório e roubou um telefone celular, dinheiro e um carro.

uai

DELEGADOS.com.br
Revista Defesa Social
Portal Nacional dos Delegados
1
0
0
s2smodern

Destaques