Set 20, 2018

Faça seu login

Usuário*
Senha*
Lembrar de mim

Grupos de elite da Polícia Civil de SP se alojam em hangar com goteiras

1
0
0
s2smodern

Grupos de elite da polícia civil dividem hangarcom goteiras no Campo de Marte. 
Sala foi improvisada em hangar do Campo de Marte (Foto: TV Globo/Reprodução)

O hangar do Serviço Aéreo Tático, no Campo de Marte, virou a base de duas unidades de elite da polícia: o Grupo Armado de Repressão a Roubos e Assaltos (Garra ) e o Grupo Especial de Reação (GER), que atua em ocorrências com reféns. Os dois grupos ficavam em um prédio redondo na Praça Alfredo Issa, no Centro, mas foram desalojados no fim do ano passado depois que o SP2 mostrou que o prédio estava em condições precárias.

Sem um espaço adequado pra receber os cerca de 130 policiais, além de armas e equipamentos, a Secretaria da Segurança Pública resolveu improvisar e colocou os dois grupos de elite em uma espécie de puxadinho, junto com os helicópteros. O aluguel do hangar custa R$ 37 mil por mês, dinheiro que sai do bolso do contribuinte.

 

Dois helicópteros da Policia Civil serão vendidos (Foto: TV Globo/Reprodução) 
 

Uma academia foi improvisada no meio do hangar. O saco de pancadas foi pendurado no teto e o equipamento de musculação divide espaço com mesas velhas. Quando chove, a calha não dá conta da quantidade de água. Na segunda-feira (26), a chuva forte deixou a sala dos investigadores alagada.

No espaço de 20 m² sem ventilação natural e com apenas um banheiro, cerca de dez policiais esperavam a água baixar.

Um helicóptero da Polícia Civil está com o certificado de aeronavegabilidade cancelado. Outro está suspenso por falta de manutenção. Agora, alegando medida de redução de despesas e custeio, colocou a venda os dois helicópteros, que representam metade da frota.

O SPTV já tinha mostrado em dezembro de 2016 que os helicópteros não saiam do chão. Na época o governo prometeu que resolveria o problema no primeiro semestre do ano passado

O sindicato que representa os delegados de polícia não gostou nem da transferência dos grupos de elite para o hangar nem da venda dos helicópteros.

“Uma estrutura totalmente inadequada, não é condizente com a prestação de serviço, ou seja, os policiais eles ficam de uma forma totalmente desestruturada para que possam trabalhar protegendo a sociedade e a população”, diz Raquel Kobashi Gallinati, presidente do Sindicato dos Delegados de Polícia.

G1

DELEGADOS.com.br
Portal Nacional dos Delegados & Revista da Defesa Social

 

1
0
0
s2smodern

Destaques